para além das sendas 2ooe0nze

26/04/2023

Assim eles vivem, para além das sendas 2ooe0nze. Ou seja, ocupando calçadas das neuroplasticidades. E nelas, Hélade Renzo permite a regeneração das artes fixas na exposição, que num momento sem fim, semanalmente potencializa conexões sinápticas.

Em todos os tempos depois das 2ooe0nze horas, Claudio Amaro se interpreta se sufocando por espaço. E seus sonhos, quando colidem com a não estabilidade financeira, não sabem se estão enobrecendo em degenerações. Ou se degenerando para logo florescer. Pois dessa forma...

Em Jaqueline, Hélade já aprendeu que para frutificar; a semente deve explodir em si mesmas na profundidade mais válida. Assim sendo, na profundidade mais power às suas predestinações genéticas. In memoriam, me vejo no espelho, aparentando rostos passados em sendas.

Então, após as devaneadas; humanos-feras se fixam na dança com o gatilho neuroplastia. E estes, são tão afetados nas memórias, quanto os que já se foram. Mas nunca foram esquecidos. Enfim...

Rastejam como cobras por todo sistema nervoso. Vivendo como escravos das sensações que imperceptivelmente são pensamentos. E lutam para não cair na morte do presente, dançando um som ensurdecedor. Embalado por gritos silenciosos para além das sendas 2ooe0nze. Que em suma...