Olhos longínquos

26/09/2023

Preocupações oscilam e crescem a cada ciclos findados e devidamente iniciados em si mesmos. Enfim... Que passam pelos muros que pareciam mais altos aos olhares longínquos distraídos pelos cimentos. Que se encontravam cada vezes mais curtos. E necessidades cada vezes maiores aos desejos mais brutos. Em dores que lá longe eram grandes em furtos. Das alegrias... Mas nem tão que impedissem andares. Pois os mesmos sempre estão precisos aos lugares e não lugares.

Mesmo quando digam aos artista que as vezes se encontram travados dentro dos próprios muros subjetivos... Que esses também estão aos quais os ultrapassam com sem fins estímulos e gatilhos. Indo adiante onde conseguem ares mais pesados ou amenos. Por modalidades que permitem sons às maneiras dos cantos explosivos ou serenos. Pensando e articulando onde estavam pensamentos que não ficam de fora. Mesmo agora em que não os desejo descrevê-los nessa aurora.