Ok?

14/01/2024

Levantei... Internéticas e infonautas 2ooe0nze. E enfim... Ok. Cada vez mais e mais a fim de empalar diversas, desiguais e discrepantes loucuras atemporais. E dessa forma em palavras nietzschianíssimas... Me powerfiquei em acrobacias e suplícios à mim mesmos. E mesmo esses me conduzindo à febres existenciais... Nunca foram capazes de me enganarem de mim mesmos. Sem desestimularem caracteres múltiplos em ápices. De horrores às delícias. Das angústias às convicções em êxtases. Que se divertiam em tempos redescobertos. Em palacetes infames se movendo em instantes memorabílicos tais como estão. Em alegrias difusas sem objetos e funcionalidades de yogas... Em arrebatamentos dilacerados dos transes que tiram fôlegos. E nisso turvações... Powerficavam em mim... Teopáticas in Claudios Amaros. E assim percebi não haverem mais despowerficações powers em mais de-eus mesmos em mim mesmos. Pois de-eus se volatilizou. Reduzindo todas as coisas aos movimentos em que elas se levantam e caem. Pois inevitavelmente coisas desmoronam. Logo... Sendo assim... Arte da vida consiste em como reconstruímos tudo que estamos in devires gênicos em mais de-eus mesmos em nós mesmos. E óbvio... Em mais e mais panta rhei babys.