O despertar das chamas

07/07/2023
Seis de julho de dois mil e vinte e três... Ontem fui capaz de assimilar completamente o que por aqui digitar. Mesmo sem assimilar ainda como digitar. Pra hoje; digitei dessa forma. Amanhã... Quem saberá como será? Enfim... Não me lembro quando li... Mas me lembro das powerficações que até hoje estão em mim após entender isto: "Vocês querem se aquecer junto à mim? Não se aproximem demais, é o meu conselho: senão podem chamuscar as mãos. Pois vejam, sou ardente demais. É com grande dificuldade que impeço a chama de fulgurar fora do meu corpo.". Nessas palavras de Nietzsche me desafiei em ser de mãos capazes à suportarem tais chamas que até hoje continuam à me chamar. Então... Até amanhã. Nisso que podemos chamar de caderneta de um conteudista devaneado...