Nas testas conseguimos atestares

20/06/2023

Quanto mais conscientes de mais de-eus mesmos nos tornamos... De-eus mesmos em nós mesmos através dos autoconhecimentos... Atuando consequentemente em interpretações powers em atestares... Tanto mais se reduzirão camadas dos imperceptivelmente estímulos para deixarmos como está. Isso para quem imagens à semelhanças de-eus mesmos... Enfim... Buscam sem fim se metamorfosear.

Mas desta forma, ou daquela... Tudo demasiadamente humano vai emergindo em mais de-eus mesmos mesquinhos fugazes. Em insignificâncias sem fim que buscam significarem. Mesmo sem acreditar em gênesis cristãs... Se deus nos criou... Foi por não querer... Nem suportar ficar sozinho em suas insignificâncias em ser.

Tudo são consciências em perceptividades ampliadas em sem fins novelos egoístas de desejos, temores, esperanças e ambições geneticamente predestinadas à humanos. Demasiadamente humanos em insignificâncias que sem fins buscam significarem. Mesmo que pra logo ali... Se negarem. Ou seja... Nas testas conseguimos atestares.

Assim sendo... Insignificâncias que sempre devem ser compensadas-estimuladas por contra tendências até mesmo imperceptíveis. Isso em sem fins powerficações de funções em relações afetivas com mundividências que nos potencializam subjetivamente. Isso em comunhões condicionais obrigatórias e indissolúveis com devires e com mãe Gaia hermeneuticamente.