Não sei o que dizer

18/07/2023

Amigo Douglas... Agradeço profundamente pela indicação de escrever algo sob texto que segue depois dessa introdução sem motivações analíticas. Ou seja... Não sei o que dizer. Pois sim internetianos e internetianas 2ooe0nze... Também sou potencializado por não ter o que digitar de algo que leio. Deixando explícito que isso não é esnobar do que foi lido. Mas sim reconhecer que as vezes acontece do travar dos processos analíticos. Enfim... Se alguém souber o que dizer e quiser entrar em contado para nos compartilhar... Fique à vontade... Pois eu... Não sei o que dizer...

"Nós, seres humanos, sabemos que avançar e recuar faz parte da vida. Às vezes avançar é uma boa opção. Recuar pode parecer um ato de covardia, nem sempre. É uma questão de sensatez. É melhor ser medicado pela solidão (quimioterapia) vivendo apenas um período de dor do que morrer aos poucos sem encontrar a solução para nossa doença – AMOR.

O amor nos faz perder a noção do espaço e do tempo; ridicularizamo-nos, nos tornamos patéticos, claro que percebemos isso, mas, nem por isso resolvemos parar. Pois estamos motivados por um desejo incontrolável, uma esperança que virá, Será? Só EU acredito. Só isso não basta. Vejo que não sou forte o suficiente para lutar sozinho. Por isso resolvi entregar as armas.

Além de tudo, espero poder olhar para traz e dizer para mim mesmo: eu tentei, chorei, sangrei; destruí vidas para construir um AMOR irreal, imaginário que só existiu dentro de mim, existi apenas em mim. Não me arrependo de nada, assumo as minhas atitudes, sejam impensadas, desconexas, destorcidas, mas que nunca teve o objetivo de magoar o próximo. Sempre tentei despertar em ti, O ANJO INTERIOR que nunca existiu. Não te culpo por isso. Lamento apenas por ter ouvido, algumas vezes, algo que poderia ser real – é claro que a minha análise não merece nenhum crédito, pois falo por motivações "paixonites".

Sempre soubemos que o que sobrava em mim, faltava em ti. E você, você não teve a menor intenção ou sensibilidade de aproveitar, absorver a menor parcela deste amor. Eu que sempre estive disposto em esperar por ti.

Antes vivia por uma questão de sobrevivência, tê-la em meus braços era para mim o oxigênio que falta na lua; hoje passa ser uma questão de amor próprio. Como é triste e deprimente se olhar no espelho e perceber que ESTOU me destruindo, destruído. Qual será o meu fim? A eterna autocomiseração?

Há quatro (...): Aquilo que você quer ouvir; o que você não quer ouvir; aquilo que você precisa ouvir e por último aquilo que você nunca precisou ouvir.

Nunca ouvi o que eu queria, sempre ouvi o que não queria; nunca me foi dito o que eu precisava ouvir e por último não precisava ouvir isso de ti. Infelizmente você nunca se importou comigo.

O beijo pedido de forma humilhante e negado de forma inescrupulosa, nada mais foi do que a espera de um complemento, uma continuação desse sentimento ao qual nunca neguei, às vezes, implícito para preservação de nossa amizade, até a forma mais extravagante de dizer TE AMO. Sempre deixei claro: desejo teu corpo, quero te beijar, preciso te abraçar. Mas não precisa ser agora, pois já tenho o muito, o suficiente, a tua amizade. A base, o pilar do verdadeiro e mais puro AMOR.

O crescimento intelectual começa a partir do nosso interesse, se molda, se aperfeiçoa, sem dúvida, no meio externo. Ele é imprescindível para crescermos nesse ambiente desleal, injusto e desonesto, onde só o conhecimento pode nos dá um melhor conforto: financeiro, social e pessoal. Como poderia eu querer atrapalhar a tua árdua caminhada? Sinto muito que você tenha entendido que eu seria um percalço para tua formação intelectual. Francamente nunca tive essa intenção.

Tentar-me-ei guiar pela estrela cruzeiro do sul, na esperança de me encontrar novamente. Juntarei os pedaços que sobraram de mim, na certeza que irei me reconstruir. Preciso apenas do tempo necessário.". Natalino Gomes da Silva

Enviado por Douglas para Claudio Amaro que assume... Não sei o que dizer. Perdão. Mas não sei o que dizer...