Elãs vocálicos

08/07/2023

Distinguem-se entre humanos demasiadamente humanos; aqueles que se sentem divididos em passados e futuros e aqueles que vivem presentes com cada vezes mais densidades. E no meio desses dois polos... Elãs vocálicos infindáveis em outras diversas, desiguais e discrepantes possibilidades. Enfim... Devires e humanos... Uniões sem fins?

E assim sendo, em sempre mais plenitudes... Alguns naturalmente insistem menos sobre questões de associações dos componentes das misturas se dissociando à se associarem como combustíveis de outros devires... Do que se passam... do que sobre imperfeições do que se aparentemente acabam... Em aprofundamentos das arbitrariedades powers em fantasias caprichosas corpônicas... Começamos a ver aquilo que nos chegam sob aspectos sempre mais sinistros. Como tudo o que se observam em olhares exteriores, logos mortíferos que alimentam outras possibilidades de vivos.

E sendo assim... Se eternizam nas ações dos alimentados. Que em pulsações se movem com energias vindas dos devorados. Elãs vocálicos que louvam deslizarem pela garganta. Pois quem se alimenta vive com vida diluída dos que foram mastigados ou dichavados.