Comendo mangas e lendo mangás

14/12/2023

Quando mangás me tornaram leitores de outras diversas, desiguais e discrepantes possibilidades de lermos das direitas pras esquerdas... Foi o que me contextualizou anos depois quando estive aluno do idioma hebraico cursando teologia... Cibernéticas e internetianos 2ooe0nze. E assim sendo estive em destinações alteradas quando descobrimos outras diversas, desiguais e discrepantes vocações. E tais estavam interpretadas em esmeraldas que permanecem como referências vindouras em mais de-eus mesmos em mim mesmos. Powerficando eugenias bosquejadas em sem fins arbitrariedades powers em fantasias caprichosas corpônicas que estamos in devires gênicos. Então vertendo e estrelando investigações dos-nos olhares exegéticos-hermenêuticos... Iluminuras? Quem saberá confirmar! Enfim... Mordacidades? Só sei do que sei... Que urbanidades permeavam fascínios exercidos por figuras de linguagens em envergaduras super devaneadas. E dessa forma... Por outro lado gêmeo das mesmas histórias genetônicas mitológicas demasiadamente humanas devaneadas hidrotermais ressanfoninantes... Adaptógenos estímulos de adaptabilidades em duplipensões frameworks me alegro em difusões. Mesmo das reconsolidações em memorabílicas compendiadas em mais e mais panta rhei babys...