As autodeterminações que nos encadeiam

09/05/2023

Imagens à semelhanças de uma gaiola que saiu à procura de um pássaro; nós seguimos. Sim, imperceptivelmente seguimos os passos. Passos de nossas subjetividades geneticamente predestinadas à autodeterminações que nos encadeiam. Enfim...

E nós; vivemos em busca de tudo que às rodeiam. E nessas montarias em touros nervosos, implodimos enquanto explodimos e rimos. E se rimo... Enfim... Ser liberto nada mais é do que reconhecer no que nos prendemos.

Pois em nossas autodeterminações, sempre devemos. Sim, imperceptivelmente somos guiados por impulsos que nos escolhem aleatoriamente. E o que podemos fazer é sorrir às correntes. Pois sim, mesmo sendo acorrentados subjetivamente... Enfim...

Que à vida nunca deixemos de mostrar os dentes. Mesmo se amarelos ou já caídos. Pois nossos elos são aqui e agora; para além de qualquer conceito de paraísos. De paraísos de apenas risos. Pois nesses paraísos que somos, existem dores, transtornos... Enfim.