2ooe0nze no livro da memória

19/04/2023

Olá internautas 2ooe0nze. Vamos continuar nossa homenagem ao livro? Assim sendo, para hoje o 2ooe0nze no livro da memória, parte do pressuposto de que todas narrativas dependem da memória.

Para aqueles que duvidam de todo aparato científico da neurociência e suas ramificações, super válido lembrar que... Muito contribui para toda ciência, religião, arte, pensamentos demasiadamente humanos, etc. Estudos que tiram os eventos pesquisados da categoria de milagres, e dessa forma, situam os mesmos na classe dos problemas e hipóteses.

Óbvio que com tal perspectiva postulada, por outro lado das respostas rápidas fixas nos conceitos milagrosos, os problemas se apresentam interminavelmente. E em suma, como em toda área de pesquisa, o estudo da memória humana segue como uma batalha com duas frentes, interligadas.

Porém tais frentes são distinguíveis e independentes. De um lado, estão pesquisas voltadas à fisiologia cerebral, sua matéria e partes constituintes. Assim sendo, análises precípuas de neurologistas, biólogos, neurofisiologistas, bioquímicos, etc. Lembrando que imagens à semelhanças das interpretações dos livros, cada intérprete vive suas hermenêuticas.

Por outro lado das pesquisas, há aqueles que estão mais interessados em descobrir como se dá, a partir das atividades cerebrais; representações dos dados memorizados. Isso em todas disciplinas que se enquadram num conceito nomeado de ciência da mente.

Sendo assim, é tradição secular nomear a parte material do encéfalo como cérebro. Já ao resultado das atividades cerebrais, dá-se o nome de mente. A mente sendo o produto da atividade cerebral. Por exemplo, a memória, a percepção, a linguagem, o pensamento, a emoção, etc. E tudo isso nos apresentam imagens à semelhanças de um livro ainda sendo escrito. E sempre sem fim.

Para nosso contexto, dependendemos diretamente do funcionamento da memória para a aquisição de todas as informações e habilidades que possamos desenvolver em vida. Sem memória, não há conhecimento nem habilidades. Ou seja, sem memória, não haveria passado, sem passado nada de presente. Sem presente, nada de vida.